Social TV: como se dá a união da TV com as mídias sociais?

De uns tempos para cá, com a popularização dos smartphones e a crescente utilização das redes sociais, o comportamento dos brasileiros mudou. Se antes o telefone era usado apenas para fazer ligações, agora ele é parte do cotidiano das pessoas, sobretudo os mais jovens, para os mais diversos fins.

É bastante comum que o smartphone acompanhe as pessoas em todas as ocasiões: estudo, trabalho, lazer, atividade física… Não seria diferente na hora de assistir à televisão, não é mesmo? Grande parte das pessoas não apenas assiste a TV com o celular na mão, como também comenta sobre o que está assistindo nas mídias sociais.

Essa junção de TV com mídias sociais recebeu o nome de social TV. É sobre esse tema que falaremos neste artigo. Continue a leitura para saber o que é, como funciona e os benefícios que esse novo conceito pode trazer para o seu negócio!

O que é

Não é de hoje que a interatividade é objetivo de meios de comunicação tradicionais. Envio de cartas para jornais e revistas ou de ligação para rádios, no passado, eram hábitos comuns e estimulados pelos próprios veículos.

Na década de 1990, houve um programa de televisão que deixava os espectadores decidirem o fim de um episódio. A escolha era feita por telefone e envolvia as pessoas até o final, pois ficava a curiosidade de como a história terminaria.

Com o avanço da tecnologia, novas opções de interatividade surgiram. Nesse contexto, nasceu também a social TV. Basta olhar a lista de assuntos mais comentados do Twitter, por exemplo, para ver a força da união entre TV e mídias sociais. Reality shows, campeonatos esportivos, festivais de música, o último capítulo da novela: tudo é pauta para as redes.

O Google Trends também costuma indicar, exibindo o volume de buscas sobre determinado tema, o quanto um assunto surgido na TV repercute na internet. Uma música nova, um ator que se destaca, um tema polêmico em determinado programa: na mesma hora, as pessoas correm para os buscadores para obter mais informações.

Isso é social TV: o comportamento relativamente recente de utilizar as mídias sociais para comentar o que está assistindo na televisão.

Como funciona

No início, esse comportamento do consumidor/espectador era espontâneo. As pessoas simplesmente acessavam as mídias sociais para publicar comentários. Quando as emissoras começaram a prestar atenção no fenômeno da social TV, elas passaram a estimular essa participação. Em outras palavras, virou um objetivo ter os seus programas comentados nas redes sociais.

Você já deve ter percebido a presença de hashtags no topo da tela durante a exibição das mais diversas programações. Trata-se de uma tentativa de organizar os comentários em uma única “etiqueta”. Quando o programa é ao vivo e tem grande apelo junto ao público — como um paredão do BBB ou uma aguardada luta do UFC —, é quase certo que a tag estará entre os temas mais comentados.

Mais do que isso, os canais — abertos e fechados — passaram a ter forte presença nas redes sociais, para divulgar conteúdo complementar ao oferecido na TV e interagir melhor com o público, aprofundando o relacionamento.

Alguns programas têm continuidade no Youtube, por exemplo. Após o término da exibição na televisão, o debate continua “extras” nas mídias sociais. Um bate-papo com um convidado, permitindo que os espectadores interajam com quem acabaram de assistir, tem sido cada vez mais comum.

Outro exemplo: um programa culinário ensina receitas e estimula as pessoas a executá-las. Além disso, é solicitado que elas postem fotos e marquem com determinada hashtag. Em outro episódio, comenta-se sobre as habilidades dos espectadores. A interatividade é cada vez maior!

Marcas

Não são apenas as emissoras que se beneficiam da social TV. As marcas anunciantes também podem sair ganhando com esse comportamento. Se as pessoas assistem aos programas, provavelmente também assistirão aos anúncios veiculados nos intervalos.

Se a sua empresa investe em comerciais televisivos ou participa de alguns programas, você também pode e deve incentivar os espectadores a continuarem a conversa nas mídias sociais.

Defina uma hashtag e faça uma boa divulgação para que a audiência possa discutir sobre a marca e fazer perguntas. Afinal, as pessoas mais adeptas da social TV gostam de participar e produzir conteúdo.

Benefícios da social TV

Se você chegou até aqui, sabe exatamente o que é e como funciona a social TV. Agora, saberá quais são os seus principais benefícios. 

Gera buzz

Engajamento é o que a maioria das empresas busca. De nada adianta produzir conteúdo de altíssima qualidade se ninguém o consome. Portanto, fazer com que as pessoas assistam e comentem o seu programa ou comercial é objetivo unânime. Se os comentários forem positivos, melhor ainda.

Se a audiência da TV vai para as mídias sociais, o contrário também acontece. Se há uma tag nos Trending Topics do Twitter, por exemplo, sobre determinada atração que está sendo exibida no momento, quem está ali na rede pode se sentir estimulado a ligar a TV para acompanhar e poder comentar também.

Se houve uma polêmica ou algo inesperado em algum programa, pode saber que em breve o assunto vai viralizar nas redes sociais. Mesmo quando o buzz não é exatamente positivo, o fato de muitas pessoas comentarem sobre uma atração televisiva faz com que ela fique mais conhecida. É o famoso “falem bem ou falem mal, mas falem de mim”. Na maioria das vezes, isso dá certo.

Cria oportunidades

Antes da popularização das mídias sociais entre os brasileiros, programas de televisão eram coisas distantes. Comentários sobre temas e apresentadores ficavam restritos, basicamente, a revistas específicas sobre o tema — aquelas que divulgam resumo de capítulos de novela, lembra-se?

Agora, a situação é outra, os desafios e oportunidades também. Estar mais próximo da sua audiência, saber o que ela pensa e o que quer ficou mais fácil. Basta monitorar as redes sociais para saber como agradar o seu público-alvo. Poder atendê-lo de maneira mais rápida e eficiente também ficou mais fácil.

Já tem tempo que um comercial não pode mais ser tratado como uma peça offline, a reverberação online também precisa ser considerada para que o maior proveito seja obtido. É preciso que on e off estejam alinhados.

Como vimos no decorrer do artigo, social TV é um fenômeno cada vez mais comum entre os brasileiros. Emissoras de televisão e marcas anunciantes têm que estar preparadas para esse comportamento. É importante estimular a participação das pessoas, mas também ter uma presença digital robusta, para que a conversa com a audiência continue, de fato, nas mídias sociais.

Gostaria de pensar em uma estratégia de social TV para o seu negócio? Então, entre em contato com a gente. Estamos preparados para ajudar a sua empresa!

Qual é o posicionamento ideal para o marketing nas redes sociais?
Conhecer o cliente e suas necessidades significa não perder dinheiro; entenda

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *